'Voo mais longo até hoje': Exército dos EUA testa míssil de precisão de longo alcance pela 5ª vez

1 semana atrás 23

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/1553/53/15535372_0:30:1281:750_1200x675_80_0_0_72feba18cd1abda01c31274529051b4e.jpg.webp

Sputnik Brasil

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/i/logo.png

https://br.sputniknews.com/defesa/2021101418124009-voo-mais-longo-ate-hoje-exercito-dos-eua-testa-missil-de-precisao-de-longo-alcance-pela-5-vez/

Militares do país norte-americano realizaram o que disseram ser "o quinto teste de voo consecutivo bem-sucedido" para o Míssil de Ataque de Precisão, relata a montadora Lockheed Martin.

O Exército dos EUA realizou um voo de teste de um novo míssil de precisão de longo alcance que excedeu o limite máximo, anunciou na quinta-feira (14) a montadora Lockheed Martin.

"O Míssil de Ataque de Precisão da Lockheed Martin completou seu voo mais longo até hoje, excedendo o limite máximo, com o Exército dos EUA ontem na Base da Força Espacial de Vandenberg, Califórnia", disse Lockheed Martin em um comunicado à mídia.

"Isto marca o quinto teste de voo consecutivo bem-sucedido para o míssil", disse, sem indicar a distância percorrida pela arma.

Há um novo teste de voo para a arma programado para antes do final deste ano, disse o comunicado, acrescentando que o objetivo é ter capacidade operacional antecipada até 2023. O míssil foi lançado de um lançador de foguetes de artilharia de alta mobilidade, e sobrevoou o oceano Pacífico, informou a declaração.

Segundo comentou o portal Defense News, "a intenção original era atingir um máximo de 499 quilômetros", mas a retirada de Washington do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário em 2019 "permitiu que o Exército dos EUA desenvolvesse o míssil para atingir alcances muito mais distantes".

O acordo de 1987 entre os EUA e a então União Soviética proibiu os mísseis terrestres com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros, em uma tentativa de aliviar as tensões criadas pelos mísseis de ataque rápido, capazes de realizar um ataque nuclear em um espaço de seis a oito minutos.

Fonte