'Sujeito tosco e grosseiro', diz leitor sobre Bolsonaro

1 mês atrás 43

Sem vacina
"Bolsonaro evita exigência de vacina em restaurantes ao comer pizza na rua em Nova York" (Poder, 20/9). Fotografia mais ridícula da história. Reparem na fisionomia dos bobos alegres. Típicos brasileiros de extrema direita, vira-latas dos EUA. Comendo pizza estadunidense de quinta categoria no meio da rua e achando graça. Ano que vem será fácil mandá-los para o lixo. Mas o que fazer com os tranqueiras que ainda apoiam esse governo?
Branka Calabrese (São Paulo, SP)

Sujeito tosco e grosseiro. Está com os dias contados por aqui.


Foram várias as vergonhas que nossos presidentes nos fizeram passar. Mas nenhuma vergonha foi tão brutal quanto ser exortado a se vacinar por líderes mundiais. Ademais, comer pizza na sarjeta para fugir das normas sanitárias é símbolo do fosso a que chegamos. Trata-se de um presidente que não merece abrir a Assembleia-Geral da ONU. Se a nossa bandeira nunca será vermelha, nossos rostos certamente estão rubros por tamanho vexame.
William Silva Garcia Leal (São Paulo, SP)


Dizem por aqui que cada povo tem o governo que merece, mas não é verdade. Quem elege o governo não é o povo; são os marqueteiros, pagos a peso de ouro para manipular redes sociais, evangélicos e milicianos. A indústria bilionária (em dólares) do antipetismo criou essas vergonhas e ainda domina muitos corações e mentes corrompidos.
Ernesto Pichler (São Paulo, SP)

Brasil passa mais uma vergonha.


Comer na rua por vontade própria é aceitável, mas o presidente de um país ter que comer na rua porque foi barrado por determinação sanitária é um absurdo vergonhoso. Pena que no Brasil ele consiga continuar agindo como um imbecil sem nenhuma consequência.
Antonio Marcos Mendes Augusto (Brasília, DF)



E ainda vai defender o marco temporal na ONU. Espero protestos. Bolsonaro nunca mais!
Beatriz R. Alvares (Campinas, SP)


Ex-mulher
"Quebra de sigilo de ex-mulher de Bolsonaro atinge período de casamento com presidente" (Poder, 20/9). Infelizmente o Brasil não tem em nenhum dos Poderes o interesse em fazer cumprir a lei, haja vista a soltura de Fabrício Queiroz. Duvido que essa CPI resulte na lavagem de que tantos precisamos.
Maria Izabel Costa (Curitiba, PR)



Mais esquisito é quando parte da população —e até mesmo boa parte de pastores evangélicos, que têm por premissa defender o que é correto— fecha os olhos e ainda considera esse presidente como o ungido para consertar o Brasil.
Wagner Walmir de Jesus (São Paulo, SP)

Olhemos o naipe da família cristã e conservadora de Bolsonaro. Não entendo como os ditos "conservadores" ainda apoiam esse senhor.

Colunistas
"Obcecado por anticomunismo, colunista omite papel histórico do imperialismo dos EUA" (Breno Altman, 20/9). Muito bem. Uma crítica pertinente que raramente se lê. É a mais evidente verdade de que o imperialismo americano produz guerras em países mais pobres unicamente com a finalidade de obter lucros e vantagens. E difunde suas ações predatórias distorcendo-as a favor de si: eles são o bem, o restante, os que se lhes opõem são os bandidos.
José Roberto Martins Filho (Belo Horizonte, MG)


Conselho Editorial
Meus cumprimentos à Folha, que, neste ano de seu centenário, renova o seu Conselho Editorial. Nessa mudança, observa a diversidade racial e de gênero e convida representantes da sociedade civil que certamente colaborarão para que tanto a versão impressa como a online do jornal se tornem cada vez mais imprescindíveis a todos nós brasileiros.
Eduardo Matarazzo Suplicy, vereador pelo PT (São Paulo, SP)



Patrícia Campos Melo, Sueli Carnero, Patricia Blanco e Luiza Trajano. A Folha não poderia ter feito melhor escolha ao incorporar diversidade representativa em seu Conselho Editorial. Vem em boa hora também a pesquisa com as leitoras. O jornal amplia seu poder de escuta e incorpora novas e importantes pautas em seu radar. Parabéns!
Maristela Mafei (São Paulo, SP)


Desnecessária
Totalmente desnecessária e de profundo mau gosto a tirinha "Viver Dói", de Fabiane Langona (Ilustrada, 20/9). Não sou cristã, mas considerei desrespeitosa a apresentação desta segunda-feira, particularmente quando criada para fins supostamente "cômicos". Não suporto censura, mas apreciaria que a própria quadrinista tivesse mais autocrítica e respeito.
Sueli Freitas (Campinas, SP)


Saúde mental
"A saúde mental dos brasileiros em tempos de pandemia" (Tendências / Debates, 20/9). Um artigo que nos faz meditar e leva cada um a fazer o que estiver ao seu alcance, mesmo que seja orar.
Romeu Merhej (São Carlos, SP)


Concessões em São Paulo
Sobre a reportagem "Doria concede Horto e Cantareira a empresa que driblou autorizações no Ibirapuera" (Cotidiano, 20/9), informo que a concessão de parques fortalece o patrimônio ambiental, promove a recuperação das edificações e reduz gastos do Estado. O projeto de concessão passou por consulta pública e será fiscalizado pelo poder público. As concessões de parques têm previsão de investimentos de R$ 450 milhões.
Marcos Penido, secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (São Paulo, SP)

Fonte