Rio é forte concorrente para basear 4ª usina nuclear do país, diz ministro de Minas e Energia

1 mês atrás 25

Segundo Bento Albuquerque, antes de o projeto avançar, é preciso colocar Angra 3 em operação, o que está previsto para acontecer até 2026

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta sexta-feira (3) que há boas chances de a quarta usina nuclear do país ser instalada no Rio de Janeiro. Albuquerque fez as afirmações em lançamento de um laboratório de redes elétricas inteligentes (smart grids, em inglês), em unidade do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), em Nova Iguaçu, na região metropolitana do Rio.

Ele disse que o empreendimento estatal constará em plano decenal a ser apresentado no início de 2022, quando também se encerram os estudos para a definição do local, realizados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e Eletrobrás. O ministro afirmou que, antes de avançar na nova usina, é preciso colocar Angra 3 em operação, o que está previsto para acontecer até 2026.

Ministro afirmou que, antes de avançar na nova usina, é preciso colocar Angra 3 em operação, o que está previsto para ocorrer até 2026 — Foto: Fonte: Reprodução Eletrobras/Eletronuclear

“A nova usina poderá ser na região Sudeste, no Estado do Rio de Janeiro ou em qualquer outro, desde que cumpra os requisitos necessários. Mas o Rio é forte concorrente pra recebê-la”, observou.

Ele disse a jornalistas que alguns locais são estudados, mas que há boas chances da escolha ser o Rio de Janeiro. “O Rio é imensamente privilegiado no que diz respeito à posição geográfica e, também, potencial energético que já possui, em petróleo e gás e geração nuclear. O Rio é forte concorrente”, reforçou.

Bento afirmou que hoje menos 3% da energia gerada no Brasil é nuclear e que a expansão da fonte faz jus à necessidade do Brasil e do mundo de alcançar metas de descarbonização.

Fonte