'Pulp non-fiction': os piores livros de negócios de 2022

1 semana atrás 23

Cerca de 10 mil livros de negócios são publicados a cada ano nos Estados Unidos, o maior mercado do planeta. Quase todos são inesquecíveis, claro, mas é inevitável que algumas poucas bombas escapem aos rigorosos filtros das editoras.

Abaixo, alguns exemplos —completamente imaginários— de títulos a evitar em 2022.

Cozy Up To Your Co-Worker! [Abrace o Seu Colega]

Um acadêmico e um "coach" com zero experiência de gestão oferecem quase 300 páginas de exemplos otimistas sobre como uma combinação de determinação, empatia, diversidade, inclusão –e abraços!– colocará sorrisos nos rostos de seus subordinados exaustos e permitirá que você adie por ainda mais alguns meses o aumento de salários que eles merecem há muito tempo.

The ME in Team. [O EU em Time]

O presidente-executivo recentemente aposentado de uma empresa da qual você nunca ouviu falar dedicou uma minúscula fração do seu pacote de aposentadoria multimilionário para contratar um "ghostwriter". O resultado do esforço é esse relato maçante de seu heroico serviço nas forças armadas e subsequente ascensão irresistível ao comando da companhia, deixando de fora todos os embaraços, processos judiciais, resultados prometidos mas não cumpridos e rodadas repetidas de demissões. Um exemplo de história escrita pelos vitoriosos.

Square Pegs: Smash Your Strategy into Shape [Pinos Quadrados, Buracos Redondos: Como Martelar Estrategicamente]

Sete sócios de uma consultoria de gestão muito bem conhecida transformam seus slides de PowerPoint e as informações confidenciais que os clientes lhes fornecem naquilo que ostensivamente parece uma nova forma de pensar em estratégia. A boa notícia: agora você sabe onde foram parar os honorários de consultoria que pagou. A má notícia: você vai receber uma caixa de cópias do livro —o cartão de visitas mais pesado e menos agradável do planeta— como brinde para sua equipe executiva.

Who Stole My Fable? [Quem Roubou Minha Fábula]

Uma história fantasiosa sobre criaturazinhas das matas que encontram uma maneira de pôr fim às suas velhas disputas e embarcam em um milagre de criação compartilhada que eleva o retorno sobre o investimento da floresta e ao mesmo tempo combate a mudança no clima. Contada em palavras curtas, separadas por páginas em branco, e acompanhada por desenhos mal feitos. Esopo? Pode esquecer. A versão em capa dura está disponível por US$ 30 na livraria do aeroporto mais próximo. Milhões de cópias serão vendidas.

Kill Them: Leadership Lessons of the Tyrants. [Mate Todo Mundo: Lições de Liderança dos Grandes Tiranos]

Há muito a dizer em favor dos autocratas e ditadores, mas no passado isso em geral assumia a forma de elogios nada convincentes feitos por lacaios apavorados. Agora, enfim, surge um manual sucinto que enumera os verdadeiros benefícios de negócios de uma gestão conduzida com punho de ferro e uso eficiente da munição, de Átila, o Huno, a Stálin.

Rich, Richer, Richest. [Rico, ricão, ricaço]

Quem é que sabia que era tão fácil assim entrar para o clube dos quaquilionários? Autores implausivelmente bonitões, titulares de uma conta muito seguida no Instagram, explicam os segredos das transações com memes e criptomoedas, e convidam os leitores a apostar o dinheiro salvo com muito esforço para a aposentadoria em uma estratégia de investimento cuja base é o Twitter, para se tornarem o novo Warren Buffett ou Elon Musk. Mas rápido, antes que eles removam a escada e o esquema de pirâmide inteiro desabe.

The Bumper Book of Branding [Branding Bom e Bonito]

Texto é muito 2021. Curta esse imenso livro de imagens, com gráficos desenhados a mão e fotos elegantes produzidas sob encomenda, tudo isso em um formato desconfortavelmente grande que só serve para exibição nas mesinhas de centro do saguão da agência de marketing que bancou a obra. O acompanhamento perfeito é um curso online de gestão de reputação e uma turnê mundial de motivação (ingressos à venda, enquanto a ômicron permitir).

The Deepest Dive: The Scandal That Briefly Unsettled Global Capitalism. [O Mergulho Mais Fundo: O Escândalo que Desordenou Brevemente o Capitalismo Mundial]

Três repórteres de jornais americanos que desde o começo nunca gostaram um do outro foram persuadidos a transformar uma série de reportagens investigativas em um livro muito, muito longo. Cada capítulo começa com uma limusine parando na porta de um hotel de luxo. Depois do livro, os autores abandonarão o jornalismo e começarão a trabalhar em relações públicas, e jamais se falarão de novo. Recomendado só para amigos e parentes.

Nudge Me When I Fall Asleep [Me Cutuque Quando eu Cair no Sono]

Experimentos sociais bem conhecidos revelados pela milésima vez naquele tom de otimismo que parece insinuar que eles contêm o grande segredo da vida. Você aprenderá a se empolgar constantemente com os avanços mais triviais! Compreenderá pela primeira vez de que maneira um treinador conseguiu reviver uma obscura equipe esportiva dos Estados Unidos! Imaginará por que os autores estão ganhando muito mais dinheiro que os professores universitários que na verdade fizeram as pesquisas! E jamais voltará a comprar um livro sobre ciência comportamental.

Hi Ho, Hi Ho: The Unthinkable Future of Work [Eu Vou, Eu Vou: O Futuro Impensável do Trabalho]

Você sabia que passamos mais tempo trabalhando do que dormindo? Ah, sabia? Não importa: esse livro permitirá que você passe lendo (e, se tiver sorte, sonhando) sobre trabalho o tempo que não passa trabalhando. Trabalhadores da economia do frila: arregalem os olhos diante da utopia de voltar a ter um emprego real. Trabalhadores de tempo integral: tremam diante da ideia de uma distopia na qual os trabalhadores de tempo parcial roubam seus empregos. Chefes: lembrem-se de que ler livros de negócios durante o expediente é uma infração passível de demissão.

Tradução de Paulo Migliacci

Fonte