Obsessão de Euphoria com nudez pode ser mais importante do que fãs imaginam

1 semana atrás 18

A 2ª temporada de Euphoria acaba de estrear no HBO Max, e mais uma vez, deixa fãs chocados com suas cenas de nudez e sexo. Embora sejam vistas como exageradas e desnecessárias por parte da crítica especializada, as sequências podem representar um aspecto muito importante.

Pelo menos, é isso que afirma uma matéria do site Digital Spy, publicada pelo jornalista David Opie. No artigo, o especialista fala sobre a maneira como a série lida com a nudez, particularmente a de personagens masculinos.

Os novos episódios de Euphoria já começam com uma cena de nu frontal masculino. No primeiro episódio, a avó de Fezco atira em um homem em meio a sessão de sexo oral.

“Mas com tanto foco no pênis, ereto ainda por cima, esse ato horrível de violência deixa os espectadores confusos. Devemos rir enquanto o pênis do cara balança enquanto ele grita? Ou devemos ficar chocados quando o sangue da ferida respinga em sua ereção?”, questiona a matéria.

A importância das cenas de nudez em Euphoria

No hiato durante a primeira e a segunda temporadas de Euphoria, a série parece ter aprendido muito com as críticas da imprensa.

Os especiais lançados, inspirados pelas restrições temporárias da Covid-19, fizeram a série mudar sua abordagem, trocando momentos chocantes e escandalosos por tramas mais particulares e sutis, com o mesmo grau de atratividade.

A verdadeira pergunta é a seguinte: Euphoria melhorou com a caracterização da nudez masculina ou piorou?

“A resposta, no final das contas, depende de quem você pergunta. Quando Euphoria trouxe uma verdadeira floresta peniana no segundo episódio da primeira temporada, o site Esquire publicou uma crítica pesada sobre a abordagem da nudez masculina na série, afirmando que ela só existe para chamar a atenção nas manchetes”, explica a matéria.

Mas diferente da opinião do Esquire, muitos especialistas avaliam que a nudez masculina em Euphoria serve um propósito bastante específico.

Todo mundo sabe que a nudez masculina é bem menos frequente que a nudez feminina, tanto na TV quanto no cinema – particularmente em relação às cenas de nudez frontal.

E embora essa tendência esteja mudando, graças à séries como Westworld, Watchmen e Easy, cenas de nu frontal masculino continuam sendo raridades.

Ressignificando a nudez masculina em Euphoria

Além do claro desequilíbrio de gênero, que encoraja a objetificação do corpo feminino, é importante citar que a nudez masculina, na maioria das vezes, vem associada a cenas de violência, particularmente de natureza sexual.

Na 2ª temporada, Euphoria parece querer quebrar essa tendência, desconstruindo a nudez masculina e associando-a à fraqueza e à vulnerabilidade, ao invés do poder e violência.

Todas as vezes que um pênis aparece na estreia da 2ª temporada de Euphoria, os homens envolvidos não estão em posições invejáveis. Não existe nenhum aspecto sexy ou intimidante nas cenas.

Ou seja: Euphoria melhorou muito desde sua primeira temporada, mas continua obcecada com cenas de nudez. A conclusão é que a produção de Sam Levinson deseja chocar a audiência, mas dessa vez, com um propósito muito melhor estabelecido.

“Tanto em cenas de nudez quanto em áreas de mau gosto, Euphoria desafia a audiência a reavaliar por que certas coisas nos chocam mais que outras”, afirma a matéria do Digital Spy.

É uma questão interessante: por que pênis são bem mais chocantes que vaginas?

“Muitas vezes, um pênis exposto pode simbolizar o poder masculino ou uma certa agressividade. Mas o inverso também é verdadeiro. Às vezes, um pênis não é nada mais que um pedaço de carne balançando entre as pernas. E Euphoria está aqui para nos lembrar dessa dicotomia”, conclui a análise.

Euphoria está disponível no HBO Max.

Fonte