Laboratório chinês CanSino retoma conversas com Anvisa sobre imunizante contra covid-19

1 mês atrás 23

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, “a empresa indicou que pretende fazer a submissão de uso emergencial da vacina no Brasil em breve”.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retomou as conversas para a análise da vacina chinesa de dose única Convidecia, contra a covid-19, do laboratório CanSino. A empresa trocou de representante no Brasil, que agora é o laboratório Biomm.

As tratativas foram interrompidas após os chineses encerrarem a parceria com a Belcher Farmacêutica, empresa paranaense ligada ao líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). À época, os asiáticos alegaram “questões de compliance” para rescindirem o contrato e disseram que estavam em busca de um parceiro “confiável” para representá-los no Brasil.

Vacina Convidecia, laboratório chinês CanSino: segundo a Anvisa, empresa indicou que deve fazer submissão de uso emergencial em breve — Foto: Marco Ugarte/AP

Barros, que admitiu ligações com os donos da Belcher, chegou a culpar a CPI da Covid pelo encerramento do contrato. Disse, ainda, que os chineses haviam desistido de vender a vacina no Brasil, o que foi desmentido à época e confirmado agora.

Durante a reunião com a Anvisa, nesta sexta-feira (22), os representantes do laboratório Biomm apresentaram dados sobre o desenvolvimento da vacina e os estudos clínicos realizados em outros países e ainda em condução.

Segundo a Anvisa, “a empresa indicou que pretende fazer a submissão de uso emergencial da vacina no Brasil em breve”.

Fonte