Italiano tenta 'driblar' vacina contra COVID-19 usando braço falso para conseguir certificado

1 mês atrás 40

Trabalhador da saúde segura seringa em ponto de vacinação contra a COVID-19 em loja de departamentos GUM de Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021

Propagação e combate à COVID-19

Informações atuais sobre a dissimilação de coronavírus no Brasil e no mundo. Fique por dentro das principais notícias sobre o tema.

https://br.sputniknews.com/20211203/italiano-tenta-driblar-vacina-contra-covid-19-usando-braco-falso-para-conseguir-certificado-20519895.html

Italiano tenta 'driblar' vacina contra COVID-19 usando braço falso para conseguir certificado

Italiano tenta 'driblar' vacina contra COVID-19 usando braço falso para conseguir certificado

Um homem que queria um certificado de vacina contra a COVID-19 sem realmente ter recebido o imunizante tentou enganar o sistema de Saúde da Itália apresentando... 03.12.2021, Sputnik Brasil

2021-12-03T18:53-0300

2021-12-03T18:53-0300

2021-12-03T18:53-0300

propagação e combate à covid-19

itália

vacina

vacinação

covid-19

mundo combate covid-19 em novembro de 2021

/html/head/meta[@name='og:title']/@content

/html/head/meta[@name='og:description']/@content

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/07e5/0c/03/20521199_0:37:3479:1994_1920x0_80_0_0_8c235a23c44b4b823ac36d67278bd518.jpg.webp

Segundo o relato dos funcionários, apesar da cor da pele realista, ninguém se deixou ludibriar pelo membro de silicone, e o homem - na casa dos 50 anos - foi denunciado à polícia local após o incidente na noite de quinta-feira (2) em Biella, no noroeste da Itália, conforme informações da agência AFP.Cirio afirmou que tal ato é "inaceitável diante do sacrifício de toda nossa comunidade durante a pandemia, em termos de vidas humanas e custo social e econômico".O caso ocorreu antes do endurecimento das regras na Itália para pessoas que ainda não foram vacinadas contra a COVID-19.Desde agosto, as autoridades do país exigem um comprovante de vacinação, atestado de recuperação recente da doença ou um teste negativo para entrar em restaurantes, museus, cinemas, teatros e assistir a eventos esportivos.Porém, a partir de 6 de dezembro, essas atividades serão restritas àqueles que possuam o comprovante de imunização completa ou que tiveram COVID-19 recentemente.As novas restrições foram estabelecidas depois do surgimento da nova variante Ômicron e de um aumento no número de casos da doença.Na quinta-feira (2), 16.800 novos casos foram notificados nas últimas 24 horas na Itália, com 72 mortes. Quase 85% da população italiana com mais de 12 anos já está totalmente vacinada.

https://br.sputniknews.com/20211203/cepa-omicron-triplica-risco-de-reinfeccao-por-covid-19-aponta-pesquisa-20515005.html

itália

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

2021

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

notícias

br_BR

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/07e5/0c/03/20521199_348:0:3079:2048_1920x0_80_0_0_cb1cbd3f4b50be9ce403c0aaa791e8ff.jpg.webp

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

itália, vacina, vacinação, covid-19, mundo combate covid-19 em novembro de 2021

Um homem que queria um certificado de vacina contra a COVID-19 sem realmente ter recebido o imunizante tentou enganar o sistema de Saúde da Itália apresentando um braço falso aos profissionais, informou uma autoridade italiana nesta sexta-feira (3).

Segundo o relato dos funcionários, apesar da cor da pele realista, ninguém se deixou ludibriar pelo membro de silicone, e o homem - na casa dos 50 anos - foi denunciado à polícia local após o incidente na noite de quinta-feira (2) em Biella, no noroeste da Itália, conforme informações da agência AFP.

"O caso beira o ridículo, se não fosse pelo fato de estarmos falando de um gesto de enorme gravidade", disse o chefe do governo regional de Piemonte, Albert Cirio, em comunicado no Facebook.

Cirio afirmou que tal ato é "inaceitável diante do sacrifício de toda nossa comunidade durante a pandemia, em termos de vidas humanas e custo social e econômico".

O caso ocorreu antes do endurecimento das regras na Itália para pessoas que ainda não foram vacinadas contra a COVID-19.

Desde agosto, as autoridades do país exigem um comprovante de vacinação, atestado de recuperação recente da doença ou um teste negativo para entrar em restaurantes, museus, cinemas, teatros e assistir a eventos esportivos.

Imunização contra a COVID-19 com a vacina da Pfizer em São Paulo, 17 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 03.12.2021

Porém, a partir de 6 de dezembro, essas atividades serão restritas àqueles que possuam o comprovante de imunização completa ou que tiveram COVID-19 recentemente.

As novas restrições foram estabelecidas depois do surgimento da nova variante Ômicron e de um aumento no número de casos da doença.

Na quinta-feira (2), 16.800 novos casos foram notificados nas últimas 24 horas na Itália, com 72 mortes. Quase 85% da população italiana com mais de 12 anos já está totalmente vacinada.

Fonte