Israel lança 'blitz diplomática' antes da retomada das negociações nucleares com o Irã

1 semana atrás 17

https://br.sputniknews.com/20211125/israel-lanca-blitz-diplomatica-antes-da-retomada-das-negociacoes-nucleares-com-o-ira-20271084.html

Israel lança 'blitz diplomática' antes da retomada das negociações nucleares com o Irã

Israel lança 'blitz diplomática' antes da retomada das negociações nucleares com o Irã

"É nossa responsabilidade, no contexto do Irã, influenciar nossos parceiros e manter um diálogo contínuo", disse Benny Gantz, ministro da Defesa de Israel. 25.11.2021, Sputnik Brasil

2021-11-25T18:58-0300

2021-11-25T18:58-0300

2021-11-25T18:58-0300

panorama internacional

israel

irã

acordo nuclear

eua

jcpoa

yair lapid

ministério da defesa de israel

forças de defesa de israel (fdi)

plano conjunto de ação integral (jcpoa)

/html/head/meta[@name='og:title']/@content

/html/head/meta[@name='og:description']/@content

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/07e5/04/15/17379146_0:167:3024:1868_1920x0_80_0_0_70f0fe4cafbb32983b8e5aee2a1e7c0a.jpg.webp

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, fará importantes encontros a partir de segunda-feira (29). Sua agenda está programada para visitar Londres e Paris na próxima semana.De acordo com o Jerusalem Post, Lapid se reunirá com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e o presidente francês, Emmanuel Macron, para discutir as negociações em torno do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês).As negociações indiretas entre os EUA e o Irã devem ser retomadas na segunda-feira (29), em Viena, com participação de Rússia, China, França, Alemanha e Reino Unido. O governo de Israel, por sua vez, quer pressionar seus aliados para serem mais duros com o Irã.Os EUA buscam retornar ao acordo nuclear como foi escrito em 2015, enquanto o Irã disse que só negociará a remoção das sanções norte-americanas.O governo de Joe Biden disse no início deste ano que buscaria alongar o acordo com o Irã e aumentar suas restrições, mas as negociações da próxima semana não visam abordar nenhuma dessas questões, e pretendem apenas retornar ao JCPOA de 2015, sem mudanças.Israel é contra esse acordo, o qual considera fraco. Benny Gantz aconselhou os negociadores ocidentais em Viena a "prestar atenção ao que eles querem alcançar, e não suavizar muito". Para ele, Israel deve manter relações positivas com os Estados Unidos e garantir que a aliança entre os dois países continue sendo uma questão bipartidária nos EUA, apesar das diferenças na questão do programa nuclear iraniano.Israel e os Estados Unidos estão em desacordo sobre o Irã, com o presidente dos EUA Joe Biden preferindo uma solução diplomática para o impasse nuclear, enquanto Israel duvida que isso seja possível nas condições atuais.Questionado sobre o que representaria o "melhor cenário" em termos de um novo acordo nuclear com o Irã, Gantz disse que Israel gostaria de um que tratasse não apenas da questão do enriquecimento de urânio, mas também de mísseis e das atividades do Irã na região.O cenário atualO Irã atualmente possui urânio enriquecido com um grau de pureza de 60%, o mais próximo que já chegou do nível de 90% associado às armas atômicas.No início deste mês, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã e principal negociador nas negociações nucleares, Saeed Khatibzadeh, disse que a República Islâmica continuará suas ações em violação do acordo nuclear, até que seja garantido que os EUA suspenderão suas sanções incapacitantes de maneira verificável.A data de 29 de novembro foi marcada para reiniciar as negociações em Viena para salvar o JCPOA após uma lacuna de cinco meses nas negociações.

https://br.sputniknews.com/20211124/chefe-do-comando-central-dos-eua-diz-que-o-ira-esta-muito-perto-de-poder-construir-armas-nucleares-20258482.html

https://br.sputniknews.com/20211117/ira-reinicia-producao-de-pecas-para-centrifugas-avancadas-do-programa-nuclear-diz-midia-19787325.html

israel

irã

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

2021

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

notícias

br_BR

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/07e5/04/15/17379146_293:0:3024:2048_1920x0_80_0_0_54392db9f84668230e84ce03b8f995dc.jpg.webp

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

israel, irã, acordo nuclear, eua, jcpoa, yair lapid, ministério da defesa de israel, forças de defesa de israel (fdi), plano conjunto de ação integral (jcpoa), benny gantz

"É nossa responsabilidade, no contexto do Irã, influenciar nossos parceiros e manter um diálogo contínuo", disse Benny Gantz, ministro da Defesa de Israel.

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, fará importantes encontros a partir de segunda-feira (29). Sua agenda está programada para visitar Londres e Paris na próxima semana.

De acordo com o Jerusalem Post, Lapid se reunirá com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e o presidente francês, Emmanuel Macron, para discutir as negociações em torno do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês).

As negociações indiretas entre os EUA e o Irã devem ser retomadas na segunda-feira (29), em Viena, com participação de Rússia, China, França, Alemanha e Reino Unido. O governo de Israel, por sua vez, quer pressionar seus aliados para serem mais duros com o Irã.

Os EUA buscam retornar ao acordo nuclear como foi escrito em 2015, enquanto o Irã disse que só negociará a remoção das sanções norte-americanas.

O governo de Joe Biden disse no início deste ano que buscaria alongar o acordo com o Irã e aumentar suas restrições, mas as negociações da próxima semana não visam abordar nenhuma dessas questões, e pretendem apenas retornar ao JCPOA de 2015, sem mudanças.

O general Kenneth McKenzie, chefe do Comando Central dos EUA (USCENTCOM, na sigla em inglês), no Capitólio, em 29 de setembro de 2021 em Washington - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021

Israel é contra esse acordo, o qual considera fraco. Benny Gantz aconselhou os negociadores ocidentais em Viena a "prestar atenção ao que eles querem alcançar, e não suavizar muito".

Para ele, Israel deve manter relações positivas com os Estados Unidos e garantir que a aliança entre os dois países continue sendo uma questão bipartidária nos EUA, apesar das diferenças na questão do programa nuclear iraniano.

Israel e os Estados Unidos estão em desacordo sobre o Irã, com o presidente dos EUA Joe Biden preferindo uma solução diplomática para o impasse nuclear, enquanto Israel duvida que isso seja possível nas condições atuais.

Questionado sobre o que representaria o "melhor cenário" em termos de um novo acordo nuclear com o Irã, Gantz disse que Israel gostaria de um que tratasse não apenas da questão do enriquecimento de urânio, mas também de mísseis e das atividades do Irã na região.

O cenário atual

O Irã atualmente possui urânio enriquecido com um grau de pureza de 60%, o mais próximo que já chegou do nível de 90% associado às armas atômicas.

No início deste mês, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã e principal negociador nas negociações nucleares, Saeed Khatibzadeh, disse que a República Islâmica continuará suas ações em violação do acordo nuclear, até que seja garantido que os EUA suspenderão suas sanções incapacitantes de maneira verificável.

A data de 29 de novembro foi marcada para reiniciar as negociações em Viena para salvar o JCPOA após uma lacuna de cinco meses nas negociações.

Série de centrífugas iranianas de nova geração são vistas em exibição durante o Dia Nacional da Energia Nuclear do Irã, em Teerã, Irã, 10 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 17.11.2021

Fonte