Investigação sobre tiro disparado por Baldwin se concentra na custódia da arma

1 mês atrás 27

Los Angeles, Estados Unidos

AFP

A investigação policial sobre o tiro mortal com uma pistola cenográfica disparado por Alec Baldwin durante uma filmagem se concentrava neste sábado (23) na especialista encarregada da arma e no ajudante de direção que a entregou ao ator americano.

A diretora de fotografia de origem ucraniana Halyna Hutchins, de 42 anos, levou um tiro no peito e morreu pouco após o ocorrido na quinta-feira no Novo México, enquanto o diretor Joel Souza, de 48 anos, que estava atrás dela, ficou ferido, foi hospitalizado e teve alta.

A polícia interrogou Baldwin, que cooperou voluntariamente, mas não apresentou acusações contra ele.

Souza disse neste sábado que estava arrasado com a perda da amiga e colega. "Era amável, vibrante, incrivelmente talentosa (...) e sempre me impulsionava a ser melhor", disse, em declarações à publicação Deadline.

A pistola, que devia ter uma bala de festim, tinha no lugar munição real, segundo a declaração sob juramento apresentada pelo gabinete do xerife para obter uma ordem de buscas, noticiaram veículos locais.

Segundo declaração, o diretor-adjunto Dave Halls, identificado como o homem que entregou a arma a Baldwin, gritou "arma fria", enquanto o fazia. Esta expressão é usada na indústria do cinema para indicar que uma arma só tem uma bala de festim. O documento judicial, obtido pela AFP, diz que Halls não sabia que a arma estava carregada.

A polícia se concentra na sequência exata dos acontecimentos que permitiram introduzir a munição real na locação de "Rust", um "western" ambientado no século XIX.

No telefonema para o 911, imediatamente após o disparo, foi possível ouvir a comoção e a raiva que tomaram conta do set.

"Temos duas pessoas que levaram tiros acidentalmente com uma pistola cenográfica; precisamos de ajuda imediatamente", diz a pessoa que liga para um agente de polícia.

"Estava carregada com uma bala de verdade?", pergunta o operador. "Não... Não posso dizê-lo", responde a pessoa que ligou. "Supõe-se que este filho da puta revisa as armas, é responsável pelo que acontece no set".

As diretrizes de segurança na manipulação das armas, detalhadas pelo grupo Actors' Equity Association, especificam que "toda recarga de armas de fogo deve ser realizada pelo dono da propriedade, o armeiro ou pessoas experientes que trabalhem sob sua supervisão direta".

As diretrizes recomendam: "Antes de cada uso, assegure-se de que a arma tenha sido testada fora do cenário e depois teste-a você mesmo. Observe como o diretor de cenografia revisa os cilindros e o cano para assegurar que nenhum objeto estranho ou bala falsa tenha se alojado em seu interior".

Baldwin disse nesta sexta-feira que estava com o coração partido e cooperando plenamente com a investigação sobre "como esta tragédia ocorreu".

Ele retuitou uma notícia da revista especializada Variety, intitulada "Alec Baldwin recebeu uma arma de cenografia que era segura antes do disparo fatal, segundo declaração sob juramento".

SUPER INSEGURO

A arma usada e outras duas foram fornecidas pela armeira do filme, Hannah Gutiérrez-Reed, de 24 anos, filha de Thell Reed, armeiro da indústria cinematográfica há tempos.

Em um podcast em setembro, a jovem Gutiérrez-Reed disse que sentia certa inquietação por assumir o papel de armeiro principal pela primeira vez no filme anterior em que trabalhou, "The Old Way".

"Estava muito nervosa a princípio e quase não aceitei o trabalho porque não estava certa de estar preparada", disse no podcast "Vozes do Oeste", antes de acrescentar: "Mas ao fazê-lo, tudo ocorreu muito bem".

Halls e Gutiérrez-Reed não puderam ser contatados imediatamente para fazer comentários.

A promotora Mary Carmack-Altwies declarou em um comunicado na sexta-feira que o caso está na etapa preliminar e acrescentou: "Neste momento, não sabemos se serão feitas acusações".

O jornal Los Angeles Times, citando fontes anônimas, reportou que ao menos três falhas ocorreram com a pistola cenográfica antes do acidente mortal e que alguns membros da equipe tinham protestado contra as condições de trabalho.

O jornal noticiou que ao menos um operador de câmera tinha enviado uma mensagem a um diretor de produção, dizendo: "Já ocorreram três disparos acidentais. Isto é super inseguro".

A Rust Movie Productions informou em um comunicado que não tinha conhecimento de nenhuma "queixa oficial", mas que "continuaria cooperando com as autoridades de Santa Fe". A produtora também informou que está realizando uma revisão interna.

Fonte