Fabíola Reipert diz que mudança na Globo confirma caminho certo da Record

1 mês atrás 51

São Paulo

A jornalista Fabíola Reipert, da Record, não se mostra intimidada com a mudança feita na grade diária da Globo. A partir desta segunda-feira (6), o quadro A Hora da Venenosa, apresentado por ela no Balanço Geral São Paulo, da Record, vai ter uma nova concorrência: "O Cravo e a Rosa", sucesso de 2000, que volta ao ar pela terceira vez, agora inaugurando uma nova faixa de novelas.

"O que posso dizer, com certeza, é que vamos continuar fazendo o nosso trabalho do mesmo jeito que antes, com o profissionalismo de sempre, pensando no melhor para o nosso público, com muita fofoca, furos e, claro, boas histórias", diz ela.

Nos últimos anos, a Globo tem sofrido para conquistar a audiência do horário vespertino, especialmente por volta das 15h. Antes de chegar ao fim, em janeiro de 2019, o Vídeo Show já vinha perdendo para a atração da Record em São Paulo, principal praça para o mercado publicitário do país. A emissora chegou a desenvolver o Se Joga, mas que também não decolou no ibope.​

Na pandemia, com o interesse das pessoas por informações sobre a Covid, o Jornal Hoje cresceu e conseguiu fazer frente à concorrente. Mas, nos últimos meses, esse interesse arrefeceu e a Globo voltou a ser derrotada por Fabíola, Reinaldo Gottino, Lombardi e a cobra Judite, mascote do trio.

Na última quinta (2), o quadro marcou 9,2 pontos de média com pico de 10 pontos, contra 8,8 pontos da Globo, que exibia o final do Jornal Hoje e o início da Sessão da Tarde —cada ponto equivale a 76.577 lares na Grande São Paulo.

"Claro que não tem como a gente não notar a movimentação da concorrência. Já vivemos outros momentos assim e conseguimos nos sair bem. Sendo assim, só posso chegar à conclusão de que estamos no caminho certo", afirma a jornalista.

"O Cravo e a Rosa" será exibida a partir das 14h40, pegando 20 minutos do Jornal Hoje, que até então era transmitido até as 15h. A novela segue no ar até 15h15, e entrega para a Sessão da Tarde. Com a nova atração, "O Clone", no Vale a Pena Ver de Novo, exibido após o filme, vai perder entre cinco e dez minutos de duração, todos os dias.

Para Fabíola, as alterações feitas na Globo mostram que os esforços deles estão valendo a pena. "Muitos pensam que a gente só trabalha enquanto estamos ali, ao vivo, mas são muitas horas de trabalho para entregar um programa bem feito."

"A gente não apenas apresenta, mas apura, edita, escreve. Tem muito suor e responsabilidade. As notícias de entretenimento seguem os princípios de uma boa apuração jornalística. Eu só falo o que é verdade... Sempre brinco, se não quiserem que eu fale, não aprontem", prossegue.

Para ela, o segredo do sucesso de A Hora da Venenosa é "passar verdade para o público". "O telespectador não é bobo. Ele percebe quando está sendo enganado, seja com falsa sintonia entre os apresentadores, falso entusiasmo, carisma forçado, sensacionalismo", afirma.

Fabíola destaca que a sintonia entre ela, Gottino, Lombardi e a Judite é a mesma na frente das câmeras e nos bastidores. "Outra coisa que deve chamar a atenção do público é que muita coisa que acontece ali no programa é improvisada. Brincamos muito no ar e não é combinado antes. Acho que essa espontaneidade é algo que diverte muito o público", avalia.

TESTE DE AUDIÊNCIA

Em entrevista à colunista Cristina Padiglione, do F5, o diretor da Globo, Amauri Soares afirmou que a ideia da nova faixa de novelas é testar a audiência do horário ao gênero. "[...] Estamos há muito tempo estudando essa experiência com dramaturgia após o Jornal Hoje, uma dramaturgia adequada para quem está em casa nesse horário, um relaxamento no começo da tarde, para crianças, mulheres, família de modo geral."

Ele sinalizou que, se a experiência der certo, até mesmo novelas inéditas para o horário podem ser produzidas.

Fonte