China desenvolve colete à prova de balas 'impenetrável' inspirado em escamas de peixe

1 semana atrás 19

https://br.sputniknews.com/20220114/china-desenvolve-colete-a-prova-de-balas-impenetravel-inspirado-em-escamas-de-peixe-21036154.html

China desenvolve colete à prova de balas 'impenetrável' inspirado em escamas de peixe

China desenvolve colete à prova de balas 'impenetrável' inspirado em escamas de peixe

O colete chinês resistiu a três tiros disparados à queima-roupa (até 15 metros). Nenhuma das balas penetrou na armadura de escala biônica. 14.01.2022, Sputnik Brasil

2022-01-14T20:41-0300

2022-01-14T20:41-0300

2022-01-14T20:41-0300

panorama internacional

china

exército

ásia

armas

tropas

venda de armas

colete à prova de balas

chineses

república popular da china

/html/head/meta[@name='og:title']/@content

/html/head/meta[@name='og:description']/@content

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/363/67/3636762_0:161:3071:1888_1920x0_80_0_0_0fe49df11162d687cb746d0ecb151ef1.jpg.webp

Uma equipe de pesquisa em Changsha, na província de Hunan, afirma ter desenvolvido o primeiro escudo corporal leve e flexível do mundo para proteger soldados de armas perfurantes.Nos testes, três rodadas de balas incendiárias perfurantes (API) foram disparadas à queima-roupa na armadura, e nenhum deles causou dano. Os cientistas garantem que um tiro de 7,62 mm, quando atingiu os materiais do colete, "efetivamente vaporou" em uma das escamas de cerâmica "super-duras", perdendo a maior parte de sua energia cinética. De acordo com o professor cientista líder do projeto, Zhu Deju, da Universidade de Hunan, os tiros deixaram marcas de cerca de 20 milímetros (0,8 polegada) de profundidade em uma parede de borracha atrás da amostra do colete, "provando o bom desempenho de proteção do equipamento". Zhu é um velho conhecido nos projetos do Exército chinês, e trabalhou em vários projetos militares. Sua armadura do tipo "escama", embora popular no mundo antigo, especialmente na China e no Japão, era difícil de ser aplicada nas forças armadas modernas.O exemplo mais recente disso foi o Dragon Skin, um colete em "escama" feito pela extinta empresa Pinnacle Armor nos anos 2000, que poderia suportar três tiros de um AK-47, de acordo com relatórios de testes de laboratório.Mas pouco antes de assinar os contratos, os militares dos EUA descobriram que a penetração poderia ocorrer inesperadamente em ambientes de combate. A empresa com sede na Califórnia faliu em 2010 depois de perder várias batalhas legais para os militares dos EUA.Algumas forças de operações especiais e empreiteiros civis supostamente usavam a pele de dragão em combate por sua flexibilidade e conforto. Mas nenhum colete à prova de balas pode parar um tiro perfurante sem ter uma placa de cerâmica ou aço, e essas placas só poderiam proteger algumas áreas vitais do corpo por causa de sua inflexibilidade.Depois de muitas falhas, a equipe de Zhu descobriu que as balanças feitas com carboneto de silício, um material de base semicondutor, tiveram melhor desempenho.A forma, a espessura e o padrão de empilhamento das balanças tiveram que ser calculados usando uma poderosa modelagem computacional que permitiu detalhes sem precedentes para produzir "resultados confiáveis ​​e consistentes", disse a equipe, segundo informações do South China Morning Post.A equipe de Zhu não revelou o peso de seu colete e nem detalhou informações sobre a cola usada para colar as balanças ao colete. Em um ambiente hostil, como no deserto, altas temperaturas, suor e movimento constante podem afetar a resistência da cola e soltar as escamas. Essa, inclusive, foi uma das razões pelas quais o Dragon Skin falhou, de acordo com os militares dos EUA.

https://br.sputniknews.com/20220101/militares-da-india-interceptam-soldados-do-exercito-chines-em-regiao-disputada-video-20890215.html

china

ásia

república popular da china

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

2022

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

notícias

br_BR

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

https://cdnnbr1.img.sputniknews.com/img/363/67/3636762_170:0:2901:2048_1920x0_80_0_0_5a8a206b5b8756a8d4ea6058e289e4ce.jpg.webp

Sputnik Brasil

contato.br@sputniknews.com

+74956456601

MIA „Rosiya Segodnya“

china, exército, ásia, armas, tropas, venda de armas, colete à prova de balas, chineses, república popular da china, colete, força aérea da china

O colete chinês resistiu a três tiros disparados à queima-roupa (até 15 metros). Nenhuma das balas penetrou na armadura de escala biônica.

Uma equipe de pesquisa em Changsha, na província de Hunan, afirma ter desenvolvido o primeiro escudo corporal leve e flexível do mundo para proteger soldados de armas perfurantes.

Nos testes, três rodadas de balas incendiárias perfurantes (API) foram disparadas à queima-roupa na armadura, e nenhum deles causou dano.

Os cientistas garantem que um tiro de 7,62 mm, quando atingiu os materiais do colete, "efetivamente vaporou" em uma das escamas de cerâmica "super-duras", perdendo a maior parte de sua energia cinética.

De acordo com o professor cientista líder do projeto, Zhu Deju, da Universidade de Hunan, os tiros deixaram marcas de cerca de 20 milímetros (0,8 polegada) de profundidade em uma parede de borracha atrás da amostra do colete, "provando o bom desempenho de proteção do equipamento".

Zhu é um velho conhecido nos projetos do Exército chinês, e trabalhou em vários projetos militares. Sua armadura do tipo "escama", embora popular no mundo antigo, especialmente na China e no Japão, era difícil de ser aplicada nas forças armadas modernas.

O exemplo mais recente disso foi o Dragon Skin, um colete em "escama" feito pela extinta empresa Pinnacle Armor nos anos 2000, que poderia suportar três tiros de um AK-47, de acordo com relatórios de testes de laboratório.

Mas pouco antes de assinar os contratos, os militares dos EUA descobriram que a penetração poderia ocorrer inesperadamente em ambientes de combate. A empresa com sede na Califórnia faliu em 2010 depois de perder várias batalhas legais para os militares dos EUA.

Algumas forças de operações especiais e empreiteiros civis supostamente usavam a pele de dragão em combate por sua flexibilidade e conforto. Mas nenhum colete à prova de balas pode parar um tiro perfurante sem ter uma placa de cerâmica ou aço, e essas placas só poderiam proteger algumas áreas vitais do corpo por causa de sua inflexibilidade.

Depois de muitas falhas, a equipe de Zhu descobriu que as balanças feitas com carboneto de silício, um material de base semicondutor, tiveram melhor desempenho.

A forma, a espessura e o padrão de empilhamento das balanças tiveram que ser calculados usando uma poderosa modelagem computacional que permitiu detalhes sem precedentes para produzir "resultados confiáveis ​​e consistentes", disse a equipe, segundo informações do South China Morning Post.

A equipe de Zhu não revelou o peso de seu colete e nem detalhou informações sobre a cola usada para colar as balanças ao colete.

Em um ambiente hostil, como no deserto, altas temperaturas, suor e movimento constante podem afetar a resistência da cola e soltar as escamas. Essa, inclusive, foi uma das razões pelas quais o Dragon Skin falhou, de acordo com os militares dos EUA.

Turistas viajando em carros a caminho da Queda d'Água Santa na Linha de Controle Real (LAC, na sigla em inglês), zona fronteiriça sino-indiana, no distrito de Tawang, Arunachal Pradesh, 4 de dezembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 01.01.2022

Fonte