"Casa Gucci": Herdeiros da marca emitem declaração furiosa sobre retrato da família no filme

1 mês atrás 30

Os herdeiros de Aldo Gucci, presidente da marca Gucci de 1953 a 1986, emitiram um comunicado dizendo que estão "um pouco desconcertados" sobre o que afirmam ser sua representação imprecisa no filme "Casa Gucci", de Ridley Scott.

O comunicado divulgado na Variety afirma: “A produção do filme não se preocupou em consultar os herdeiros antes de descrever Aldo Gucci - presidente da empresa por 30 anos [interpretado por Al Pacino no filme] - e os membros da família Gucci como bandidos, ignorantes e insensíveis aos mundo ao seu redor”.

O texto acrescenta que o longa atribui “tom e atitude aos protagonistas que nunca lhes pertenceram”. E continua: “Isso é extremamente doloroso do ponto de vista humano e um insulto ao legado no qual a marca é construída hoje”.

O comunicado continua falando sobre como a socialite milanesa Patrizia Reggiani (interpretada por Lady Gaga no filme), condenada em 1998 por facilitar o assassinato de Maurizio Gucci (interpretado por Adam Driver), “é retratada não apenas no filme, mas também em depoimentos de membros do elenco, como uma vítima que tenta sobreviver em uma cultura corporativa machista e machista”.

Isso não poderia estar mais longe da verdade”, prossegue o comunicado, afirmando que durante os 70 anos em que a empresa Gucci foi uma empresa gerada pela família, era “uma empresa inclusiva”. 

Ainda de acordo com o comunicado, durante a década de 1980, quando o filme é ambientado, “havia várias mulheres em cargos de liderança” na Gucci, fossem elas parentes ou não, como a presidente da Gucci América, a chefe de Relações Públicas e Comunicações, e uma mulher membro do Conselho de Administração da empresa Gucci America.

A Gucci é uma família que vive honrando o trabalho dos seus antepassados, cuja memória não merece ser perturbada para encenar um espetáculo que não é verdadeiro e que não faz justiça aos seus protagonistas”, conclui o comunicado publicado pela primeira vez pela agência de notícias italiana ANSA. 

Apesar do tom da declaração que ainda acrescenta que “os membros da família Gucci reservam-se no direito de tomar medidas para proteger o nome, a imagem e a dignidade de si e de seus entes queridos”, nenhuma ação legal está sendo tomada pela família Gucci contra os produtores do filme.


Fonte