Brasileiro é selecionado para comitê da OMS de estudos de novos patógenos

1 semana atrás 18

Nesta quarta-feira (13), a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a criação de um grupo de especialistas científicos para auxiliar, como conselheiros, na análise do surgimento de novos patógenos. Entre os membros do grupo está um brasileiro.

Carlos Medicis Morel, coordenador geral do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Imagem: Fiocruz Divulgação

Carlos Medicis Morel, diretor do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foi convidado a se unir a outros 25 especialistas de diversas áreas, como epidemiologia, ecologia, saúde animal, virologia, biologia molecular, medicina clínica, segurança alimentar, biossegurança e saúde pública, e compor o conselho.

publicidade

De acordo com o jornal O Globo, a composição do comitê foi escolhida a partir da indicação de mais de 700 cientistas, e seus membros ainda devem passar por uma etapa final de consulta pública e confirmação.

Leia mais:

OMS diz que esta não é a primeira nem será a última pandemia

Denominado SAGO (Grupo de Aconselhamento Científico para a Origem de Novos Patógenos, em tradução livre), o grupo vai contribuir com a OMS no desenvolvimento de um conjunto de diretrizes para definir e guiar estudos sobre a origem e o reaparecimento de patógenos com potencial epidêmico e pandêmico, como o coronavírus causador da Covid-19.

Embora a pandemia atual tenha evidenciado os riscos da disseminação em escala global de novos patógenos, o vírus Sars-Cov-2 é somente um entre tantos que já tiveram impactos importantes, além de outros que virão e precisam ser estudados.

“O surgimento de novos vírus com o potencial de desencadear epidemias e pandemias é um fato da natureza, e apesar de o Sars-CoV-2 ser o mais novo deles, ele não será o último”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, em pronunciamento. 

“Entender de onde vêm novos patógenos é essencial para prevenir futuros surtos com potencial epidêmico e pandêmico, e requer uma vasta gama de expertises”, explicou Ghebreyesus. “Estamos muito satisfeitos com a competência dos especialistas escolhidos para o SAGO no mundo todo, e estamos ansiosos por trabalhar com eles para tornar o mundo mais seguro”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte