Black Friday: Chuva e poucas promoções reduzem interesse do público no comércio popular de SP

1 mês atrás 22

Na região da rua 25 de março, área conhecida pelo comércio popular na capital paulista, a Black Friday é quase um detalhe. Poucas lojas exibiam faixas anunciam promoções pela data. Nas ruas, o movimento era baixo, quase incomum para a região. Entre as razões dadas pelos lojistas para a falta de consumidores ficou o clima chuvoso da cidade nesta sexta-feira.

“Quase 40% do fluxo cai quando chove”, conta Marcelo Seemann, diretor da Univinco, associação que reúne os lojistas da região.

Ele explica a data não é, de fato, tão “a cara” do comércio da 25 de março, que já trabalha, diz ele, com margens mais baixas o ano inteiro. “Também não havia expectativa de que o movimento aumentasse hoje por causa da Black Friday. Às terças e quartas-feiras temos mais movimento de atacado e, sábado, do varejo (consumidor final)”, acrescenta.

Bastante vazia no começo da manhã, a região começou a ficar mais cheia no começo da tarde, mas ainda com movimento bastante abaixo do que de costume.

As amigas Fernanda e Carol aproveitaram as horas de folga para ir à região. Até então, não tinham feitos compras, mas a promoção de caixas de som na loja de artigos eletrônicos chamou atenção e elas compraram o produto com R$ 20 de desconto.

Fernando que comprava brinquedos com a esposa diz que não estava encontrando descontos e que decidiu ir à 25 de março pela variedade de produtos.

Na loja Armarinhos Fernando uma outra consumidora, que não quis se identificar, também diz não ter sentido diferença nos preços.

A percepção foi similar à de Gisleine, que veio de Porto Alegre para São Paulo a trabalho, e aproveitou horas de folga para ir comprar presentes.

“Não percebi promoções. E mesmo considerando o que é a 25, não estou percebendo preços melhores. Quando vinha para cá em 2018 e 2019, os preços eram melhores. Agora, estão bem parecidos com os do comercio em Porto Alegre.”

Ainda assim, comprou dois pares de sapatos, pois os preços na vitrine estavam “atraentes”.

Ester e Josefa também aproveitaram a promoção para comprar calçados. Foram quatro pares novos. As duas foram para a 25 para compras gerais, mas as promoções da loja de sapatos chamaram atenção. “Preços estão bem acessíveis.”

Na loja Global Shoes, a entrada tinha muitos balões em preto e amarelo para chamar atenção de quem passava pela rua. Dentro, pares de sandália eram anunciados de R$ 39,99 por R$ 19,99.

“Começamos a promoção na segunda-feira e está indo bem”, diz o gerente, Jefferson Leite. Entre as categorias mais vendidas estão tênis femininos, sandálias e calçados para crianças.

A loja vai estender as promoções até terça-feira, e a expectativa é de conseguir aproveitar a janela de pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário. “A expectativa é alta. Já conseguimos ver recuperação no movimento e no último mês superamos as vendas do mesmo período em 2019.”

Seemann, diretor da associação, é dono de uma loja de brinquedos na região, também espera que o recurso extra ajude a impulsionar as vendas, fazendo efeito sobre vários dias a partir da próxima semana. As empresas têm até dia 20 de dezembro para pagar a segunda parcela.

Black Friday, 25 de março — Foto: Raquel Brandão

Fonte