Apesar da ômicron, Rio e outras cidades mantêm festa de Réveillon

1 mês atrás 18

Enquanto diversas capitais cancelaram a festa da virada do ano, outras cidades turísticas decidiram manter as comemorações de Réveillon em orlas de praia, com fogos de artifício, mesmo diante do avanço da ômicron no país.

Algumas prefeituras ainda condicionam a decisão ao posicionamento de órgãos de saúde estaduais ou esperam confirmação de patrocinadores.

A algumas semanas do evento, o Réveillon do Rio de Janeiro ainda não tem patrocínio formal. Segundo a Riotur, órgão municipal responsável pelo evento, as empresas esperam uma decisão da prefeitura para confirmar o patrocínio.

A previsão é de que sejam montados três palcos na praia de Copacabana, sendo um principal e dois "satélites". A expectativa é receber dois milhões de pessoas. Outras dez regiões da cidade também devem ter palcos.

O prefeito Eduardo Paes (PSD) diz que analisará o cenário epidemiológico até o dia 15 para decidir se vai realizar os eventos ou não.

"Quero lembrar que ter planejamento para o evento não quer dizer necessariamente que ele vai ser realizado. Afinal, é plenamente possível cancelar o que foi realizado", diz Paes. "Mas a gente está fazendo o dever de casa e na torcida para que o cenário favorável de hoje se mantenha e que seja até melhor nas próximas semanas e meses".

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou que a decisão será tomada de acordo com o cenário epidemiológico dos próximos dias.

Atualmente, a capital fluminense apresenta bons indicadores. Com 77,4% da população com o esquema vacinal completo até esta sexta (3), o Rio registra há semanas queda no número de óbitos e de internações. A ocupação dos leitos de UTI está em 5%.

No resto do estado, cidades como Niterói e Campos dos Goytacazes já anunciaram que não realizarão eventos públicos no Réveillon por causa da pandemia.

A Prefeitura de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, informou que a tradicional queima de fogos de artifício na praia central está mantida, por ora. Segundo o município, orientações do governo de Santa Catarina permitem a festa e o avanço da vacinação na cidade dará segurança aos presentes. Balneário Camboriú tem 70% da população totalmente vacinada contra covid-19.

O município também pode rever sua posição em caso de agravamento da pandemia. Lembrou, porém, que houve alargamento na faixa de areia em que turistas acompanham a queima de fogos recentemente. Isso facilitará que as cerca de 1 milhão de pessoas esperadas para o Réveillon mantenham o distanciamento.

Em Alagoas, a Prefeitura de Maceió também declarou que, a princípio, as festividades de Ano Novo seguem confirmadas. Citou a redução dos casos de Covid-19 e a imunização completa de 80% de sua população para justificar a comemoração.

O município tradicionalmente promove queima de fogos e shows nas praias de Pajuçara e Ponta Verde. Neste ano, por conta da pandemia e para que mais pessoas tenham acesso às atrações, a intenção é distribuir eventos por sete pontos da cidade.

Tudo isso, no entanto, pode ser cancelado. "A realização das festas dependerá da situação sanitária do país com relação à Covid-19 e dos decretos dos protocolos sanitários que estarão vigentes no período", declarou a prefeitura.

Nós já temos a contratação de um evento para o Réveillon, mas estamos analisando a possibilidade da liberação ou não do Réveillon e também do Carnaval na nossa cidade

Em Manaus, a prefeitura ainda não definiu se promoverá festas públicas de Réveillon. A gestão municipal da cidade vai avaliar nas próximas semanas os indicadores da pandemia para fazer a definição.

Mas o prefeito David Almeida (Avante) disse no dia 29 que trabalha para "autorizar o Réveillon Virada da Esperança 2022, com segurança para toda a população".

Segundo o prefeito, a decisão sobre a realização ou cancelamento do evento será tomada e divulgada entre os dias 10 e 12. "Nós já temos a contratação de um evento para o Réveillon, mas estamos analisando a possibilidade da liberação ou não do Réveillon e também do Carnaval na nossa cidade", afirmou.

Sobre a realização da festa na virada de ano, David disse que, apesar de o evento estar contratado e parcialmente pago, não haverá problemas em adiá-lo para uma data posterior, caso seja necessário. "Manaus sofreu muito no início deste ano e nós não queremos que isso retorne", afirmou.

A capital de Rondônia, Porto Velho, ainda não definiu sobre as festas de virada de ano para celebrar a chegada de 2022.

"Existe uma pré-programação que poderá ser confirmada ou não, dependendo de como estará o cenário diante da Covid-19 para os próximos dias", afirmou a prefeitura em nota divulgada à imprensa.

A Prefeitura de Rio Branco, no Acre, disse que não há uma posição confirmada sobre as festas de Réveillon e que aguarda parecer do Comitê Especial de Acompanhamento à Covid.

Fonte