Análise: Para Kanczuk, do BC, abandono da meta de 2022 não é sinal "dovish"

1 mês atrás 22

Group CopyGroup 5 CopyGroup 13 CopyGroup 5 Copy 2Group 6 Copy

Diretor de política monetária deu novos sinais de que a autoridade estuda deixar de focar exclusivamente no cumprimento da meta de inflação de 2022, deslocando as suas atenções também para 2023


O diretor de política monetária do Banco Central, Fabio Kanczuk, deu novos sinais nesta terça-feira (30) de que a autoridade monetária estuda deixar de focar exclusivamente no cumprimento da meta de inflação de 2022, deslocando as suas atenções também para 2023.

Mais do Valor Econômico

Diretor de política monetária deu novos sinais de que a autoridade estuda deixar de focar exclusivamente no cumprimento da meta de inflação de 2022, deslocando as suas atenções também para 2023

Há 3 minutos Finanças

Cenário é de renda estagnada desde o fim de 2020, sem auxílio emergencial e Auxílio Brasil pouco amplo, observa economista Cosmo Donato

Há 9 minutos Brasil

No caso do regime dos militares, houve alta no período; dados são do Relatório Resumido da Execução Orçamentária da União (RREO)

Há 15 minutos Brasil

Há 22 minutos Brasil

Autoridade explica que o público-alvo será formado por bancos, instituições de pagamento, fintechs e empresas com interesse em desenvolver um "produto minimamente viável" com base no real digital

Há 22 minutos Finanças

Sobre a inflação de serviço, Roberto Campos Neto diz que “subiu mais recentemente", mas completa que foi dentro do esperado da autoridade monetária

Há 37 minutos Finanças

Presidente do Fed considera uma boa ideia debater o assunto

Há 37 minutos Finanças

Dúvidas sobre funcionamento das atividades de comércio e serviços, festas de fim de ano e se cepa levará ao aumento de internações e óbitos são pontos apontados pela economista Anna Carolina Gouvêa

Há 41 minutos Brasil

CDC Europeu aponta casos em 11 países e diz que todos têm histórico de viagens

Há 44 minutos Mundo

As faculdades que possuem outros cursos, por exemplo, administração, direito e engenharia, ficarão numa outra estrutura, sendo que 55% da sociedade pertencerá à Inspirali e 45% será da DNA

Há 53 minutos Empresas

Fonte