Smart Grid – A rede elétrica inteligente


Desde os tempos de Thomas Edison, mais de 100 anos atrás, a tecnologia de distribuição, as redes que transportam a eletricidade e medição do consumo de eletricidade pouco mudou.

A maneira como a distribuição de energia é feita atualmente é arcaica, dependemos muito de uma única fonte geradora e, caso ela falhe, toda rede fica sem abastecimento. Além disso, de acordo com a IBM: 14,7% do total da energia produzida no Brasil é dissipada no processo de distribuição.

O símbolo disso é o medidor de consumo encontrado em nossas casas, um equipamento eletromecânico, analógico, totalmente ultrapassado e obsoleto, que depende de um batalhão de pessoas passando de casa em casa para a coleta de dados, a probabilidade de erros é grande.

SMART GRID
A lógica da Smart Grid está em uma palavra: inteligência. Isso que dizer que as novas redes serão automatizadas com medidores de qualidade e de consumo de energia em tempo real. Os tradicionais medidores de luz serão substituídos por uma nova geração de leitores, equipados com chips e conectados à internet (pela própria rede elétrica ou por conexões sem fio), esses equipamentos podem transmitir os dados do consumo automaticamente para a empresa elétrica.

Uma das novidades nesta nova rede de energia é o consumidor-produtor, residências, condomínios ou empresas equipadas com painel solar, ou outra fonte de captação de energia, venderiam para o sistema a energia gerada e não utilizada.

Outra novidade são planos mais flexíveis, assim como empresas de telefonia oferecem descontos em horários de baixo movimento, as elétricas poderiam criar preços diferenciados fora dos picos de consumo. Eletrodomésticos, poderão ser programados para começar a funcionar somente no horário em que a energia estiver com o melhor preço.

Hoje, quem recebe uma conta de luz pode comparar o consumo de um mês em relação a outro ou então o gasto total em quilowatt-hora, um dado que faz pouco sentido para um gerenciamento eficiente no sentido de evitar o desperdício ou otimizar o consumo.

As informações que teremos serão, por exemplo: quanto gasto por mês o chuveiro? Quanto poderia economizar se aumentasse em meio grau a temperatura da geladeira? De posse de informações detalhadas, uma residência pode reduzir, em média, 10% seu consumo de eletricidade, sem abrir mão do conforto.

O problema é que isso vai demorar um pouco para acontecer, pois de acordo com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) há, aproximadamente, 65 milhões de medidores analógicos no país. A regulação dos modelos digitais ainda nem saiu do papel, mas a previsão é que em no máximo dez anos todos os medidores sejam substituídos.

DICAS

Enquanto “a revolução” do Smart Grid não chega, você pode controlar o consumo de energia da sua casa, basta saber quanto gasta cada equipamento, existe duas formas para calcular exatamente esse consumo.

Kill-a-Watt

um visor de LCD irá lhe mostrar o consumo em tempo real de killowatts/hora de qualquer aparelho conectado. Com este aparelho é possível também verificar a qualidade da sua energia elétrica com o monitor de Volts.

Com este equipamento, é possível medir em tempo real: Voltagem, Corrente, Watts, Frequência, Fator de Potência, e VA. (comprar)

Outra forma é medir o consumo como um Multímetro, veja o tutorial: Medindo a potencia Watt com um Multímetro

ARTIGOS RELACIONADOS
Política de Privacidade • 2018 (CC)