Santa Catarina: Uma verdade inconveniente


Antes desse século, muitos cientistas achavam impossível existir ciclones no hemisfério sul, mas em março de 2004 presenciamos um em nosso próprio país, o Catarina.

Ventos de até 150km/h ondas de 5 metros e uma forte chuva provocados pelo fenômeno devastaram áreas no norte do Rio Grande do Sul e no sul de Santa Catarina.

Desde o século XV, data dos registros da navegação no oceano Atlântico, inclusive o período em que tem início a observação por satélites, a partir de 1960, jamais se registrou um fenômeno de tal magnitude no hemisfério sul.

A explicação para ausência de furacões ou ciclones tropicais no Atlântico Sul, é devido a baixa temperatura da superfície do mar e pela existência de ventos desfavoráveis nos níveis atmosféricos mais altos.

Consequências do aquecimento global

  • Aumento do nível dos oceanos: com o aumento da temperatura no mundo, está em curso o derretimento das calotas polares. Ao aumentar o nível da águas dos oceanos, podem ocorrer, futuramente, a submersão de muitas cidades litorâneas.
  • Crescimento e surgimento de desertos: o aumento da temperatura provoca a morte de várias espécies animais e vegetais, desequilibrando vários ecossistemas. Somado ao desmatamento que vem ocorrendo, principalmente em florestas de países tropicais (Brasil, países africanos), a tendência é aumentar cada vez mais as regiões desérticas do planeta Terra.
  • Aumento de furacões, tufões e ciclones: o aumento da temperatura faz com que ocorra maior evaporação das águas dos oceanos, potencializando estes tipos de catástrofes climáticas.
  • Ondas de calor: regiões de temperaturas amenas tem sofrido com as ondas de calor. No verão europeu, por exemplo, tem se verificado uma intensa onda de calor, provocando até mesmo mortes de idosos e crianças.
ARTIGOS RELACIONADOS
Política de Privacidade • 2018 (CC)