História das coisas: Como ajudamos as grandes corporações a ficarem mais ricas, financiar as guerras e destruir o planeta


Pouco depois da Segunda Guerra Mundial, as corporações estudavam a forma de impulsionar a economia. O analista de vendas, Victor Leboux, articulou a solução que se tornaria a norma de todo o sistema. Ele disse:

“A nossa enorme economia produtiva”
exige que façamos do consumo a nossa forma de vida,
que tornemos a compra e uso de bens em rituais,
que procuremos a nossa satisfação espiritual
a satisfação do nosso ego, no consumo…
Precisamos que as coisas sejam consumidas,
destruídas, substituídas e descartadas a um ritmo cada vez maior.”

Como é que eles nos fizeram adotar este sistema de forma tão entusiástica?
Bem, duas das suas estratégias mais bem sucedidas são: a obsolescência planejada e obsolescência perceptiva.

OBSOLESCÊNCIA PLANEJADA
Obsolescência planejada é uma outra forma de dizer “criado para ir para o lixo“. Eles fazem as coisas de modo que sejam inúteis tão rápido quanto possível para jogarmos fora e voltarmos a comprar. Isso é óbvio em sacolas ou copos de plástico, mas agora verifica-se isso em coisas maiores como: Celulares, DVDs, máquinas fotográficas, quase tudo! Até computadores! Já reparou que quando compra um computador, a tecnologia muda tão rapidamente que em pouco anos se torna quase um impedimento para a comunicação?

OBSOLESCÊNCIA PERCEPTIVA
A obsolescência perceptiva nos convence a jogar fora coisas que ainda são perfeitamente úteis. Como fazem isso?
Mudam a aparência das coisas.
A moda é outro bom exemplo.

Então a publicidade e a mídia em geral nos convence a substituir o “feio” pelo “belo” os “fora de moda” e nos empurram goela abaixo produtos que não precisamos. Mas se o vizinho tem, se o colega do trabalho tem, se o adolescente popular tem, então TODOS QUEREM.

Se as coisas não avariam suficientemente rápido pela Obsolescência planejada, são descartadas pela obsolescência perceptiva. e assim NÓS movimentamos as engrenagem do sistema.

DIVULGUE
Assistam logo abaixo ao vídeo com muito mais detalhes e informações, aproveitem ao máximo os 20 minutos deste documentário. Ofereça a escolas, bibliotecas, comunidades, colegas de trabalho, amigos e vizinhos.

Quanto mais gente estiver consciente de seu papel no mundo do consumo, mais chances teremos de um futuro sustentável, o único futuro possível.

ARTIGOS RELACIONADOS
Política de Privacidade • 2018 (CC)