Fotos e Fatos: A evolução tecnológica da bola utilizada na Copa do Mundo


Antigamente as bolas de futebol mudava de formato a cada chute, e se estivesse chovendo dobrava de peso, hoje com a tecnologia e novos materiais, seu formato e peso permanecem inalterados ao decorrer do jogo, não importando se faça chuva o sol.

O que tem que mudar é o jogador em se adaptar a bola, se achar que esta rápido demais devido ao formato perfeitamente esférico então jogue com uma bola quadrada que corre menos.

Basta ressaltar que o jogador que mais reclamou da bola Jabulani foi o Felipe Melo (O que ele pensa é justamente o oposto do que deve ser) em suas palavras: “A outra bola é igual a mulher de malandro: você chuta e ela continua ali. Essa de agora é igual Patricinha, que não quer ser chutada de jeito nenhum “

A seguir uma viagem pela historia, com a fotografia de todas as bolas utilizadas na Copa do Mundo desde a primeira em 1930 e a evolução tecnológica ao decorrer dos anos.

2010 África do Sul (Jabulani)
Jabulani, que significa “comemorar” no idioma zulu, tem apenas oito gomos em formato 3D. Seu design possui traços africanos, misturados numa diversificação de 11 cores – o branco predomina.A Jabulani introduziu importantes avanços em termos de tecnologia. Ao passar as mãos pela bola, a primeira coisa que chama a atenção é a textura com ranhuras de aderência que asseguram um domínio completo, uma trajetória estável no ar e uma aderência perfeita em qualquer condição.

As ranhuras de aderência em círculos contornam toda a superfície da bola, possibilitando a aerodinâmica ideal. Além disso, as ranhuras integradas garantem uma trajetória sem igual, fazendo desta a bola adidas mais estável e precisa de todos os tempos.

Ao contrário dos moldes anteriores das bolas de futebol adidas, constituídas por gomos planos, a Jabulani é formada por oito gomos em 3D unidos termicamente e, pela primeira vez na história, os gomos foram moldados esfericamente para dar à bola um formato perfeitamente cilíndrico, o que garante uma precisão nunca antes alcançada.

2006 Alemanha (+Teamgeist)
Demorou bem mais de três anos de intensa pesquisa e desenvolvimento para apresentar a adidas “+Teamgeist”, a bola com melhor desempenho até então. Graças à revolucionária configuração de bola de 14 gomos, os jogadores agora podem revelar suas verdadeiras habilidades, já que as características de qualidade e desempenho são exatamente idênticas toda vez que chutam a bola.
O adidas Innovation Team (a.i.t) testou, rigorosamente, a nova Bola Oficial para a FIFA World Cup™ 2006 na Alemanha, primeiro sob condições laboratoriais mais rígidas possíveis, e depois com jogadores profissionais e clubes nos gramados. Testes científicos foram realizados junto com o Grupo de Pesquisa em Tecnologia do Esporte da Universidade de Loughborough, uma das maiores instituições do ramo. Estes testes confirmaram que a adidas “+Teamgeist” é mais redonda, precisa e consistente do que qualquer outra bola de jogo da concorrência. Esta da foto foi utilizada no Jogo Final: Itália 0x0 França.

2002 Coreia /Japão (Fevernova)
conhecida como a “Fevernova”, era o resultado de três anos de aperfeiçoamento na “Tricolore” no centro de pesquisa da Adidas em Scheinfeld, no sul da Alemanha. O material consiste em seis camadas ou revestimentos, começando com uma bexiga de látex natural dentro, depois um tecido de malha Raschel com três camadas, a espuma sintática, uma camada de poliuretano, uma impressão protegida com tinta Iriodin e, finalmente, uma camada de poliuretano transparente resistente ao rasgo. O desenho da tríade adidas se tornou, agora, duas tríades simples ampliadas, com as setas para o sentido horário nas cores cinza, vermelha e dourada. O fundo não era mais o branco puro tradicional, mas mais uma cor champanhe. A bola da foto foi do Jogo: França 0x0 Uruguai

1998 França (EQT Tricolore)
A “Tricolore” usada em 1998 foi a primeira bola colorida a ser desenhada para a FIFA World Cup™. Sua tríade incorporando os símbolos da nação anfitriã, a França – um galo, um trem em alta velocidade e uma turbina. A bola era de um material sintético totalmente novo, moldada com ‘espuma sintética’ que afirmavam dar melhor compressão e mais repiques, características de suas antecessoras. A espuma era feita de microcélulas cheias de gás, que distribuem energia igualmente quando a bola é chutada. A bola da Foto do Jogo: Itália 3×0 Camarões

1994 EUA (Questra)
A bola chamou-se a “Questra”, a partir da palavra “quest”,para indicar a busca dos EUA por estrelas, e estrelas foram incorporadas na tríade. A bola foi desenvolvida na França e, depois, totalmente testada pelos times e jogadores tanto da Europa quanto dos EUA. A bola foi fabricada com cinco materiais diferentes com uma camada externa final durável, mas flexível, feita de poliuretano.

1990 Itália (Etrusco Unico)
Mostrava um leão etrusco no seu desenho. A bola foi, de novo, fabricada completamente com camadas de fibras totalmente sintéticas, incluindo uma de látex para dar estabilidade e resistência a rasgar, uma camada de neoprene para tornar a bola impermeável e uma camada de poliuretano externa para resistência ao desgaste e boa qualidade de repique. Esta da foto foi do Jogo: Espanha 2×1 Bélgica

1986 México (Azteca)
Foi um modelo completamente novo feito de material sintético em camadas, cada uma com diferentes propriedades para dar firmeza à bola, conservar sua forma e ser completamente à prova d’agua. Esta foi também a primeira bola a exibir o desenho especial para FIFA World Cup™ – a tríade foi baseada num mural asteca. Esta bola da foto foi do jogo: França 2X0 Itália

1982 Espanha (Tango España)
Foi a primeira a ser feita de uma mistura de couro verdadeiro e material sintético. Tinha uma cobertura de poliuretano para maior eficiência em repelir a água.

1978 Argentina (Tango Durlast)
Nessa época, a adidas ia bem nos padrões de escolha de nomes relacionados com a nação anfitriã, então, “Tango” foi o nome escolhido para a bola usada na Argentina. Foi a primeira a levar a marca registrada da Adidas, que era um desenho impresso de triângulos de bordas curvas interconectados conhecidos como ‘tríade’. Esta bola da foto foi utilizada no Jogo Argentina 3×1 Holanda.

1974 Alemanha (Telstar Durlast)
Bola similar a anterior chamado “Telstar Durlast”. A bola da foto foi do 2° jogo do grupo “B”: Alemanha Ocidental 1×0 Polônia

1970 México (Telstar)
Quando a Adidas começou sua parceria, Também foi a primeira vez que uma bola recebia um nome especial para Copa do Mundo FIFA. Bola de couro de 32 gomos com hexágonos brancos e pentágonos pretos. A bola da foto foi utilizado no jogo semi final: Italia 4×3 Alemanha Ocidental. “Telstar” foi um pequeno satélite esférico de comunicações lançado da Flórida em 1962.

1966 Inglaterra (Modelo: Challenge 4-Star)
A Associação de Futebol convidou os melhores fabricantes para fornecerem, cada um, uma bola sem marca, dentre as quais a escolha final seria feita. Eram bolas de 24 gomos, o que significava que havia seis gomos juntos em três longas faixas de couro, mas os gomos centrais nestas três faixas tinham uma costura a mais em ângulos exatos para dar mais firmeza. A Bola da foto foi utilizada no jogo da final: Inglaterra de 4×2 Alemanha Ocidental

1962 Chile (Modelo: Mr. Crack)
As bolas de futebol usadas no Chile em 1962 não correspondem, de forma nenhuma, às do padrão europeu. Assim, várias bolas européias foram usadas como substitutas das marcas locais em muitas partidas. A bola da foto foi utilizada no jogo semi final: Chekoslovakia 3 x 1 Iugoslávia

1958 Suécia (Modelo: Top Star)
A bola de 18 gomos foi desenhada com costura interlaçada em zig-zag, para que houvesse menos tensão na costura.

1954 Suiça (Swiss WC Match Ball)
A FIFA começa oficialmente regular tamanho, peso e diâmetro das bolas, A bola de 18 gomos, fez sua primeira aparição nesta copa e foi usada, de várias formas, até 1966. esta da foto foi utilizada no jogo da final: Alemanha Ocidental 3×2 Hungria

1950 Brasil (Modelo: Super Duplo T)
Em 1950, via ainda o uso da tradicional bola de 12 gomos, mas com bordas curvas para criar menos tensão nas costuras. De novo, as bolas usadas teriam sido feitas por fabricantes locais. A bola da foto foi utilizada no jogo em Belo Horizonte, Estados Unidos 1×0 Inglaterra

1938 França (Modelo: Allen)
Como nas duas edições anteriores, as bolas de 12 gomos usadas teriam vindo de fornecedores locais e seriam de couro marrom. A Bola da Foto foi utilizada no jogo das quartas de final: Italia 3X1 França.

Itália 1934 (Modelo: Federale 102)
A bola da foto foi utilizado no jogo das quartas de final: Itália 1×0 Espanha

Uruguai 1930 (Modelos: Tiento e T-Model)
A bola de 1930 seria uma montagem de 12 peças, nas fotos as duas bolas utilizadas na final. A bola dos anfitriões, o Uruguai (T-Model), supostamente era um pouco maior que a da Argentina (Tiento), mas, dado que a circunferência da bola sempre foi entre 68 e 70 cm, a diferença dificilmente era perceptível. No final, a única forma para resolver o impasse foi que os times concordassem em usar a bola argentina no primeiro tempo e a bola uruguaia, no segundo. Basta dizer que a Argentina fez 2-1 no primeiro tempo e o Uruguai venceu o jogo de 4-2!

ARTIGOS RELACIONADOS
Política de Privacidade • 2018 (CC)