Conheça "Stan Tookie Williams"


Stan Tookie Williams foi um dos fundadores da Gang Crips, em 1971, uma das maiores e mais violentas do mundo. Em 1981, ele foi acusado do assassinato de quatro pessoas em dois assaltos e condenado à morte. Stanley passou 24 anos na prisão tentando provar que estava arrependido do envolvimento com a bandidagem e sempre negou ter cometido os quatro assassinatos em 1979.

Enquanto estava preso, Stanley escreveu nove livros infantis incentivando crianças e adolescentes a se manterem longe de gangs, crimes e drogas. Forneceu, também, aconselhamentos contra a violência por telefone e rádio. Stan recebeu e guardou cerca de 150000 e-mails de jovens, pais e professores que saíram ou conseguiram convencer alguém a abandonar o envolvimento com gangs. Ele foi indicado cinco vezes ao Prêmio Nobel da Paz e de Literatura.

O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, rejeitou seu pedido de clemência e no dia 13 de dezembro de 2005, o ex-líder da gang Crips, convertido ao cristianismo, Stanley “Tookie” Williams foi executado, na prisão San Quentin, com uma injeção letal por ter sido condenado pelo governo de Los Angeles. Segundo jornalistas, William trocou olhares com as pessoas que o apoiaram, durante seus últimos minutos. Os funcionários da prisão, nervosos, tiveram dificuldade em localizar a veia do acusado. Porém às 00h35 (6h35 em Brasília), Tookie foi declarado morto. Deus Perdoa, Schwarzenegger Não!

Sete dias depois, a Igreja Bethel AME realizou o funeral tendo entre os convidados o ativista dos direitos humanos reverendo Jesse Jackson, o líder da Nação Islâmica Lois Farrakhan, o rapper Snoop Dogg, o ator Jamie Foxx e o bispo que lutou contra o apartheid na África do Sul Desmond Tutu. Durante o funeral foi realizada a transmissão de uma gravação feita por Williams antes da morte, em que dizia: A guerra dentro de mim terminou. Eu lutei contra os demônios e triunfei. Ensinem as pessoas a evitar caminhos destrutivos. Ensinem a lutar por uma melhor educação. Ensinem a promover a paz e a reconstruir as vizinhanças que ajudamos a destruir.

O reverendo Jesse Jackson, que já lutou ao lado de Mandela e do pastor Martin Luther King, lamentou a execução de Stanley Williams e disse: Tookie está morto. Não estamos a salvo, não estamos cercados por mais segurança e nem somos mais humanos sem ele.

Stan deixou uma lição de vida e acima de tudo nos ensinou que a vida pode sempre recomeçar. A autobiografia de Stanley Williams pode ser encontrada em seu livro Blue Rage, Black Redemption que recebeu várias indicações para o Nobel da Paz e outros prêmios de literatura. Sua história também pode ser encontrada no filme Redenção (com Jamie Foxx), premiado com o Cannes e indicado ao Globo de Ouro.

ARTIGOS RELACIONADOS
Política de Privacidade • 2018 (CC)